Naufrágio(s) no Mediterrâneo: a ponta de um Iceberg chamado África

Icebergue transformado em África

Se "o bater de asas de uma borboleta em Tóquio pode provocar um furacão em Nova Iorque", imaginem o que séculos de escravatura e décadas de pilhagem de recursos naturais não pode provocar em África…

Não é de facto preciso sequer imaginar, está à vista de todos. Seres humanos, uns atrás dos outros, morrem ao tentar escapar à herança civilizacional que a Europa e os Estados Unidos da América deixaram no Continente ali de baixo.

Alegadamente, os líderes ocidentais fazem como a avestruz, enfiam a cabeça na areia, ou melhor enterram a cabeça no seu umbigo...

2 contra-alegações:

  1. Acho abusivo dizer-se que a realidade actual ainda tem a ver com a colonização europeia(como se não fosse verdade que a par dos séculos de exploração não fosse também um facto o avanço de civilização em Africa devido aos europeus)quando a mesma terminou em 1975,podemos sim discorrer sobre a influência da "guerra fria" e suas consequências,essas determinadas pelas potências USA e URSS.

    ResponderEliminar
  2. Concordo com Bilder. Acrescento que a maior vulnerabilidade de Africa é precisamente a de ter uma dose tão abundante de corruptos que o resultado só podia ser a desgraça. A exploração dos recursos não afecta absolutamemente nada. Quanto à escravatura, é uma excelente desculpa, mas é coisa do passado. Aliás também havia escravos brancos. O futuro de Africa, felizmente, pertence aos africanos. Oxalá acordem para essa realidade.

    ResponderEliminar

Instagram